Senhora Brasilia

Senhora Brasilia
Guardiã Silenciosa do Brasil

O QUE É A METAFÍSICA

Minha foto
A METAFÍSICA • É uma filosofia prática para a vida diária que nos ensina a resolver problemas, usando os poderes ocultos naturais que levamos dentro, para não seguir sendo vítimas das circunstâncias. • Ensina que a infelicidade e o sofrimento são produzidos pelo entorpecimento do Plano Divino de Perfeição, o uso negativo dos Princípios de Causa e Efeito e de Mentalismo ligado aos Sentimentos. • Dá a explicação de todo o que não compreendemos; o que está oculto, o que não tem uma razão de acordo ao intelecto material e aos sentidos físicos. • Instrui-nos como manifestar tudo o que desejamos. Converter o impossível em possível e conseguir um desenvolvimento espiritual instantâneo e sem sofrimentos. • Tem três áreas básicas de estudo: O SER – DEUS e a CIÊNCIA DO SABER, tendo como base O CONHECIMENTO DE SI MESMO. • Em 1946 Conny Mendez funda na Venezuela “O Movimento de Metafísica Cristã”, tendo como Pai do Ensino o Doutor Emmet Fox. Atualmente Rubén Cedeño é o único instrutor ativo da Metafísica surgida em Caracas na Segunda metade do século XX.

28 de out de 2010

Livro: “AOS PÈS DO MESTRE” de Krishnamurti



Fragmentos extraídos do Livro: "AOS PÉS DO MESTRE" ditado pelo Mestre Koot Hoomi a seu discípulo Krishnamurti.


AOS QUE BATEM...


Do irreal conduz-me ao Real.
Das trevas conduz-me à Luz.
Da morte conduz-me à Imortalidade




Quatro são as qualidades necessárias para a Senda:


I – Discernimento.

II – Ausência de desejos (Desapego, abnegação).


III – Boa conduta.


IV – Amor.



I – DISCERNIMENTO:


Em todo o mundo há somente duas espécies de pessoas – as que sabem e as que não sabem – e o conhecimento é o que importa possuir. A religião de um homem, a raça a que pertence – não são coisas de importância; o que é realmente importante é o conhecimento – o conhecimento do Plano de Deus em relação aos homens. Pois Deus tem um plano e esse plano é a Evolução; quando o homem o tiver visto e, realmente, o conhecer, não poderá deixar de cooperar nele, unificando-se com ele, tal a sua glória e beleza. Assim, pelo fato de possuir o conhecimento, ele está ao lado de Deus, firme no bem e resistente ao mal, trabalhando pela evolução e não com fins pessoais.


Deves discernir entre o que é importante e o que não é. Firme como uma rocha em tudo que concerne ao bem e ao mal, cede invariavelmente aos outros nas coisas de somenos importância. Pois deves ser sempre amável, bondoso, razoável e condescendente, deixando aos outros a mesma plena liberdade que para ti necessitas.



Procura verificar o que vale a pena ser feito e lembra-te que as coisas não devem ser julgadas pela sua grandeza aparente. Uma pequena coisa de utilidade imediata à obra do Mestre merece muito mais ser feita, do que uma grande coisa que o mundo considera boa. Precisas distinguir não somente o útil do inútil, mas ainda o mais útil do menos útil. Alimentar os pobres é uma boa obra, nobre e útil; porém, alimentar-lhes as almas é ainda mais nobre e mais útil...



O teu pensamento acerca dos outros deve ser verdadeiro; não penses a seu respeito aquilo que não saibas. Não suponhas que os outros estejam sempre pensando em ti. Se um homem faz alguma coisa que julgas poder prejudicar-te, ou diz algo que parece ser-te dirigido, não suponhas imediatamente: "ele pretende ofender-me". O mais provável é que nunca pensasse em ti pois cada alma tem as suas próprias preocupações e os seus pensamentos não giram, as mais das vezes, em torno senão de si própria. Se um homem te falar colericamente, não penses: "Ele me odeia e quer ferir-me." Provavelmente, alguém ou alguma coisa o encolerizou e, acontecendo encontrar-te, voltou a sua cólera sobre ti. Procede insensatamente, pois toda a cólera é insensata, mas nem por isso deves pensar falsamente a seu respeito.



Sê verdadeiro na ação; nunca pretendas parecer senão aquilo que és, pois todo fingimento constitui um obstáculo à pura luz da verdade, que deve brilhar através de ti como a luz do Sol através de um vidro transparente.


Precisas discernir entre o egoísmo e o altruísmo, pois o egoísmo reveste muitas formas e, quando pensas tê-lo morto, finalmente numa delas, surge noutra tão forte como sempre. Porém, gradualmente, o pensamento de auxiliar aos outros te encherá de tal modo, que não haverá lugar nem tempo para pensares em ti mesmo.


De outra maneira, ainda deves utilizar o discernimento: aprende a distinguir a Deus que está em todos e em tudo, por pior que seja a sua aparência exterior. Podes ajudar teu irmão pelo que tens de comum com ele – a Vida Divina. Aprende a despertar nele essa Vida, aprende a invocá-la nele; assim o salvarás do mal.